Quem são os golfinhos do Tejo


Têm sido avistados golfinho com frequência no rio Tejo há já 50 dias. É incrível a frequência dia a dia que golfinhos-comuns são vistos tão perto do centro da cidade.

‘grupo central’ em 2020

Durante este período, ficou claro que todos estes avistamentos não passam de apenas uma visita, pois os grupos retornam ao Mar rapidamente após uma refeição no Tejo. Este comportamento vai de encontro aos dados dos anos anteriores, apenas com uma frequência maior.

Há muitas razões que podem explicar este fenómeno e, muito provavelmente, não será apenas um. Mantemos uma posição firme na hipótese da fonte de alimento como o fator mais pesado, publicado no último artigo. No entanto, algumas hipóteses pertinentes foram colocadas em publicações de outros, tais como:

  • A melhoria da qualidade da água, que poderia muito bem explicar um aumento na última década, mas é improvável que explique um grande aumento desde o ano passado
  • Os golfinhos no rio são apenas um reflexo de um aumento no número da população total de golfinhos na costa portuguesa

A última é intrigante e no nosso último passeio, conseguimos colocar alguma luz sobre este assunto. Através da foto-identificação, conseguimos corresponder positivamente pelo menos metade dos 21 indivíduos identificáveis desde o último avistamento. Esses indivíduos foram avistados juntos em julho de 2019, a apenas 1 hora de natação da foz do Tejo. Podemos assim concluir que estes golfinhos são indivíduos que já costumam usar a área, são locais por assim dizer.

‘grupo central’ em 2019

Não se pode afirmar que seja sempre o mesmo grupo que visita o rio Tejo, mas os dados apontam para que pelo menos um ‘grupo central’ de indivíduos estão na grande maioria dos avistamentos no rio Tejo em 2020. Deve se referir que todos estes indivíduos do ‘grupo central’ foram avistados todos juntos em 2019.
O DD12 é um dos indivíduos mais avistados, devido ao conspícuo ferimento no bico

Um mês de Golfinhos em Lisboa

Não há clientes para ver os golfinhos, mas ainda assim registamos o máximo de avistamentos que podemos. Desde 24 de Maio, golfinhos-comuns são regularmente avistados no rio Tejo e muito perto do centro da cidade.

Na 3ª semana consecutiva, conseguimos identificar um antigo conhecido, o indivíduo DC10 é um golfinho-comum bastante conspícuo, devido à falta do topo da barbatana dorsal (provavelmente cortada por linhas de pesca).
‘Ele’ (provavelmente um macho) foi visto pela primeira vez em 2018 e foi avistado todos os anos desde então.
Questionamos o porquê por que desta regularidade, fatores ambientais são improváveis, pois a temperatura da água, marés e correntes têm flutuado ao longo do período. Os fatores mais fortes são os mais básicos da vida, como a comida. Os pescadores deram-nos uma pista, parece que há muitas sardinhas e cavalas dentro do rio e estes são os peixes favoritos dos golfinhos comuns.

Os estuários estão dos habitats naturais mais produtivos do mundo, por isso faz sentido que grandes cardumes se estabeleçam dentro ou perto do rio Tejo, pois o Tejo tem o estuário mais largo da Europa.
As próximas perguntas são para determinar se, de fato a quantidade de peixes encontrados no último mês no rio é significativamente maior que nos anos anteriores e, em caso afirmativo, porquê. A pandemia atual pode ter um impacto importante no setor de pesca? Esses impactos podem permitir que o stock de peixes cresça? Já aconteceu antes, após o derramamento de óleo da BP no Golfo do México em 2010.

Uma semana de golfinhos em Lisboa

A semana passada teve uma quantidade sem precedentes de golfinhos avistados no rio Tejo. Um total de 5 avistamentos foram gravados em vídeo e compartilhados nas redes sociais, 4 deles foram em dias consecutivos.

Avistamento no Parque das Nações

Todos os avistamentos foram de pequenos grupos de golfinhos comuns, suportando os estudos anteriores que indicaram que os golfinhos comuns são as espécies mais avistadas no Tejo. Isso contrasta com todos os outros rios, que têm principalmente avistamentos de golfinhos roazes. Isso pode estar relacionado às preferências de profundidade dessas espécies, os golfinhos comuns preferem profundidades de pelo menos 20m, enquanto os golfinhos roazes estão perfeitamente confortáveis ​​em águas de 2m de profundidade. A maioria dos rios não tem profundidade superior a 10m, tornando-os inadequados para a visita de golfinhos comuns. No entanto, a impressionante profundidade do rio Tejo, que podem alcançar 60m, proporciona profundidade suficiente para os golfinhos comuns visitarem enquanto caçam cardumes de peixes.
Apenas 2 dos avistamentos estavam na área habitual, onde os encontramos em nossos passeios de observação de golfinhos, perto da foz do rio.
Dois outros estavam mais próximos da ponte de 25 de abril, um a jusante e o outro a montante da ponte.
No domingo o último avistamento foi o mais a montante já dentro do estuário, muito perto da costa do Parque das Nações, a 25 km do Mar. Impressionante de fato, mas longe de ser recorde, em 2010 esta espécie foi fotografada 48 km rio acima em Vila Franca de Xira!!
As razões pelas quais foram registados tantos avistamentos condensados ​​em uma semana permanecem desconhecidas. Provavelmente, vários fatores contribuíram para ele, como cardumes regulares de peixes a entrarem no rio provavelmente para desova, já que a alimentação era a principal atividade observada nos vídeos.

Billie o golfinho adoptado

A Billie é um golfinho fêmea que vive em Algeciras, em Gibraltar, Espanha. Ela foi vista pela primeira vez por colegas espanhóis em 2006, quando era uma juvenil solitária. Semanas depois, foi vista na companhia de golfinhos comuns e tem sido desde então. A Billie passou seu tempo na companhia de golfinhos comuns e foi observada interagindo em comportamentos sociais, como babysitting. Dez anos depois, ela teve um cria própria, que é um híbrido de golfinho comum-roaz. Ela definitivamente levou isto de ser golfinho comum a sério!
Leia mais sobre o artigo científico aqui sobre ela e a sua cria!

Golfinhos no Tejo outra vez!

No Dia Internacional da Mulher avistámos um grupo de golfinhos comuns composto por mães e alguns juvenis. E estavam a pescar dentro do rio Tejo!
Parecia que se atrasaram durante a caça e apanharam alguma corrente de maré contrária, na verdade estavam a entrar no rio enquanto nadavam para fora!



Golfinhos no rio Tejo 2020

Hoje 28 de Fevereiro tivemos o primeiro encontro do ano com golfinhos dentro do rio Tejo!

Este grupo era formado por 20 golfinhos comuns de todas a idades (crias, juvenis e adultos) e ainda havia um raro indivíduo melânico. Acompanhamos o grupo por 30 minutos desde Caxias até saírem do rio. Pelo comportamento que apresentavam, inferimos que estariam em alimentação, caçando peixe na turbulência criada pela maré.

Saibam mais sobre os golfinhos do Tejo na nossa publicação anterior.

Forte de S. João das Maias, Oeiras

Praia de St. Amaro de Oeiras

Orcas passam em Peniche

A 12 de Janeiro de 2020, o nossos colegas do AWF avistaram um grupo de orcas ao largo de Peniche seguindo para o norte. Os vídeos de telemóvel estão muito pixelizados o que tornam a tarefa de foto-identificação quase impossível. No entanto, é possível reconhecer num dos vídeos, a matriarca Toni 011. Estas orcas muito provavelmente pertencem à população ibérica e provavelmente pertencentes à matrilina da Toni, matrinas da Omega ou da Lamari. “Provavelmente” pois a identificação dos restantes indivíduos é altamente subjetiva.
Não é exagero considerar que este grupo de orcas passou por Lisboa nos dias 11 ou 10.
 

ECCO Ocean passa a Lisbon Dolphins

Gostaríamos de anunciar que a partir de hoje realizaremos nossas expedições sob a bandeira da Lisbon Dolphins!
Lisbon Dolphins é a marca turística da ECCO Ocean, que tornará mais fácil para os clientes lembrarem-se e escreverem o nosso nome e assim mais fácil encontrarem-nos on-line. O nome ECCO Ocean será mantido para os projectos de investigação e para consultoria ambiental.

Com um endereço mais simples, nossos clientes podem consultar facilmente nossa página durante o passeio. Por exemplo, será mais fácil acederem aos catálogos de golfinhos.
Vejam as novas páginas, novo visual na página principal e material didático mais completo. Será uma aventura ‘navegar’ no site, decorado com as melhores fotografias das expedições de 2019.

A Megaptera já opera

Boas notícias para nossos projectos de investigação e para os exploradores que desejam juntar-se a nós nas nossas expedições. A nossa embarcação finalmente está registada e já está operar!
Nosso primeiro participante experimentou o nosso pacote Nota de Pigafetta – Vela com afrenalina. Participamos na regata de Natal, onde depois de uma largada desastrosa  conseguimos recuperar 7 lugares!


Orcas na Costa da Caparica

.

No passado dia 4, avistamos orcas ao Largo da Costa da Caparica. Ainda não conseguimos ter o barco pronto mas isso não nos demoveu, com uma boleia da vizinha Terra Incógnita conseguimos intersecta-las apenas com referência de um aviso dos nossos amigos da Bolhas Tours.
O grupo corresponde à matrilina da Muesca e os acompanhantes usuais. Já são bem conhecidos das equipas de investigação espanholas que os estudam durante a Primavera e Verão. Para além do macho  grande (Morales) foi possível identificar pelo menos 4 fêmeas adultas, um macho juvenil e uma cria provavelmente deste ano. Este foi pelo menos o 3º grupo que passou pela costa portuguesa no fim do Verão mas o único que conseguimos avistar.

Juvenil 053

053 com Sintra

Corsica e a ciraMateo

Macho adulto, Morales

Morales, Muesca e 031