Skip to content

News Details

Um mês de Golfinhos em Lisboa

Não há clientes para ver os golfinhos, mas ainda assim registamos o máximo de avistamentos que podemos. Desde 24 de Maio, golfinhos-comuns são regularmente avistados no rio Tejo e muito perto do centro da cidade.

Na 3ª semana consecutiva, conseguimos identificar um antigo conhecido, o indivíduo DC10 é um golfinho-comum bastante conspícuo, devido à falta do topo da barbatana dorsal (provavelmente cortada por linhas de pesca).
‘Ele’ (provavelmente um macho) foi visto pela primeira vez em 2018 e foi avistado todos os anos desde então.
Questionamos o porquê por que desta regularidade, fatores ambientais são improváveis, pois a temperatura da água, marés e correntes têm flutuado ao longo do período. Os fatores mais fortes são os mais básicos da vida, como a comida. Os pescadores deram-nos uma pista, parece que há muitas sardinhas e cavalas dentro do rio e estes são os peixes favoritos dos golfinhos comuns.

Os estuários estão dos habitats naturais mais produtivos do mundo, por isso faz sentido que grandes cardumes se estabeleçam dentro ou perto do rio Tejo, pois o Tejo tem o estuário mais largo da Europa.
As próximas perguntas são para determinar se, de fato a quantidade de peixes encontrados no último mês no rio é significativamente maior que nos anos anteriores e, em caso afirmativo, porquê. A pandemia atual pode ter um impacto importante no setor de pesca? Esses impactos podem permitir que o stock de peixes cresça? Já aconteceu antes, após o derramamento de óleo da BP no Golfo do México em 2010.

Book Now