A week of dolphins in Lisbon

The past week had an unprecedented amount of dolphins sighted in the river Tagus. A total of 5 sightings were recorded on video and shared throughout social media, 4 of them were in consecutive days.

Last sighting of the week, the furthest upriver

All sightings were of small groups of common dolphins, corroborating the previous studies which indicated that common dolphins are the most sighted species in the Tagus. This contrasts with all the other rivers, which have mostly bottlenose dolphin sightings. This could be related to the depth preferences of these species, common dolphins prefer depths of at least 20m while bottlenose dolphins are perfectly comfortable in waters 2m deep. Most rivers do not get deeper than 10m, making them unsuitable for common dolphins to visit. However the impressive depth of the Tagus river with depths up to 60m, delivers enough depth for the common dolphins to visit while hunting schools of fish.
Only 2 of the sightings were in the usual area where we find them in our dolphin watching tours, close to the mouth of the river.
Two others were closer to the 25th of April bridge, one downriver and the other upriver from the bridge.
And on Sunday the last sighting was further upriver, inside the estuary, very close to the shore at Parque das Nações, the “New Lisbon” 25 km from the Sea. Impressive indeed but not close to a record, in 2010 this species were photographed 48 km upriver!!
The reasons why so many sightings condensed within a week remain unknown. Most likely numerous factors contributed to it, namely regular schools of fish entering the river probably for spawning, as feeding was the main activity seen in the videos.

Uma semana de golfinhos em Lisboa

A semana passada teve uma quantidade sem precedentes de golfinhos avistados no rio Tejo. Um total de 5 avistamentos foram gravados em vídeo e compartilhados nas redes sociais, 4 deles foram em dias consecutivos.

Avistamento no Parque das Nações

Todos os avistamentos foram de pequenos grupos de golfinhos comuns, suportando os estudos anteriores que indicaram que os golfinhos comuns são as espécies mais avistadas no Tejo. Isso contrasta com todos os outros rios, que têm principalmente avistamentos de golfinhos roazes. Isso pode estar relacionado às preferências de profundidade dessas espécies, os golfinhos comuns preferem profundidades de pelo menos 20m, enquanto os golfinhos roazes estão perfeitamente confortáveis ​​em águas de 2m de profundidade. A maioria dos rios não tem profundidade superior a 10m, tornando-os inadequados para a visita de golfinhos comuns. No entanto, a impressionante profundidade do rio Tejo, que podem alcançar 60m, proporciona profundidade suficiente para os golfinhos comuns visitarem enquanto caçam cardumes de peixes.
Apenas 2 dos avistamentos estavam na área habitual, onde os encontramos em nossos passeios de observação de golfinhos, perto da foz do rio.
Dois outros estavam mais próximos da ponte de 25 de abril, um a jusante e o outro a montante da ponte.
No domingo o último avistamento foi o mais a montante já dentro do estuário, muito perto da costa do Parque das Nações, a 25 km do Mar. Impressionante de fato, mas longe de ser recorde, em 2010 esta espécie foi fotografada 48 km rio acima em Vila Franca de Xira!!
As razões pelas quais foram registados tantos avistamentos condensados ​​em uma semana permanecem desconhecidas. Provavelmente, vários fatores contribuíram para ele, como cardumes regulares de peixes a entrarem no rio provavelmente para desova, já que a alimentação era a principal atividade observada nos vídeos.